SEM TESÃO: É visível o desinteresse pelas eleições. A abstenção deve superar 2016 quando 32,5% dos eleitores das 57 cidades com 2º turno não foram votar. Incoerência: o voto é obrigatório, mas a multa pela falta em 2018 foi de R$3,50. No voto para vereança o desastre será oceânico. Não há ambiente e nem oportunidades para o eleitor conhecer as propostas ou os candidatos. Os postulantes novatos, escondidos pela máscara podem passar despercebidos nas eleições.  Quanto ao velho horário eleitoral não deve atrair a atenção devido à concorrência da TV a cabo e do celular.

IMAGINAÇÃO: Não pode faltar aos candidatos. O Covid-19 provocará a migração da campanha para o ambiente digital com importância maior que a prevista. A propagação de ‘fake news’ e a disparidade de recursos entre os candidatos terão nova proporção.  Mas quem buscar a reeleição levará vantagem sobre os estreantes. Nas cidades menores valerá o velho ‘corpo a corpo’ ou o ‘boca a boca’. É possível que igrejas possam abrigar comícios camuflados concomitantemente aos cultos, devido a presença de dezenas de pessoas. Amém Jesus!

PROJETOS: Cada político tem o seu e do ex-ministro Mandetta (DEM) tem aflorado após sua demissão e já incomoda lideranças.  O lançamento do seu livro sinaliza: quer ocupar espaço, juntar forças ou formar seu próprio grupo. Mas ele pode se beneficiar caso Murilo Zauith (DEM) assuma o Governo para Azambuja disputar algum cargo em 2022. O jogo jogado; Senador Nelsinho Trad (PSD) ainda terá mandato a cumprir, o ex-governador Puccinelli (MDB) desgastado. Mandetta poderia tentar a vaga ao Senado ocupada por Simone Tebet (MDB) ou o próprio Governo. É o que andam dizendo.

NA CONTRAMÃO. Chico Anísio dizia que só aqui o comunismo é levado a sério.   Darcy Ribeiro ironizava essa esquerda, universitária, utópica, ‘nutella’, lembrando que o Brasil não é a Suécia; pois nós não somos iguais. Mas a esquerda não entendeu, não tem identificação com o eleitor evangélico de conceitos de moral/ família diferentes das pautas progressistas do PT e cia. O estigma comunista – tutor da esquerda – favorece o centro/ direita.  É a religião – decisiva nas eleições e caminhando à frente da política sindical e socialista. Conclusão: não dá para ser marxista e cristão ao mesmo tempo.

LAVA JATO: Ela desnudou a corrupção no Brasil a partir do Governo PT-MDB e alcançou vários países da América do Sul, América Central e chegou até a África onde nossas empreiteiras atuavam em conluio com os governantes. No Peru, por exemplo, os escândalos provocaram renúncia e prisões de autoridades. Evidente que aconteceram equívocos pontuais, mas o que não justifica a campanha para desmoralizar o trabalho que condenou mais de 150 acusados confessos e recuperou bilhões de reais. Incrível: Governo e oposição interessados em denegrir o ex-juiz Sergio Moro. É pena.

COMPARANDO: Nos Estados Unidos o Poder Judiciário custa o equivalente apenas a 0,15% do PIB; na Itália chega a 0,19% e na Alemanha, 0,32%. Mas no rico Brasil a fatura do Judiciário em 2019 foi de 1,5% do PIB. O custo por habitante foi de R$479,16 e o custo final de R$100,2 bilhões. Apesar dos avanços tecnológicos. Investimentos e altos salários, as reclamações continuam.  Muita pompa e burocracia palaciana, mas com resultados práticos distantes do ideal.  Justiça que tarda…

ACERTO: “Política é feita com construção e a gente está discutindo. Temos agora as chapas, uma construção diferente. É chapa pura de vereadores, não pode mais coligar. Tem que cuidar da chapa e o partido fez um bom trabalho, temos ótimos nomes que vão concorrer para o Legislativo municipal e eu não tenho dúvida. Nós vamos chegar em um entendimento…Você chega em um entendimento quando coloca a Capital em primeiro lugar…. Tudo isso é fruto de uma parceria e, assim como na Capital, estamos percorrendo os municípios, falando com os aliados”. (Governador Reinaldo sobre o apoio do PSDB à reeleição de Marcos Trad (PSD) ao Campo Grande News)

ENFIM… O Governador tem o comando de seu partido no Estado e já decidiu pelo apoio à reeleição do prefeito Marcos Trad (PSD) na capital. Sem ilusões: Uma eleição está ligada diretamente a próxima. Daí há de se olhar naturalmente para o pleito de 2022 onde repousam projetos diversos, inclusive do próprio governador em disputar o Senado   O raio x do PSDB mostra que é um partido como os demais, com aspirações individuais mas que naturalmente não comprometem o projeto maior de poder.

FAVORITO: Evidente que vale é o voto na urna. Mas aqui na capital – analisando o quadro de postulantes, o desempenho do prefeito Marquinhos, sua notória habilidade na relação com outras lideranças e com a Câmara Municipal, vem se cacifando para se reeleger no primeiro turno. Esse pacote de obras junto com o Governo Estadual premia bairros populosos, valoriza a parte central e vias estratégicas nos bairros. A comparação do cenário horroroso de antes com a atualidade agradável leva-nos a essa previsão.

DESGASTES: Com exceção do funcionalismo público as senadoras Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (PSL) foram criticadas pela opinião pública no episódio do veto presidencial em que ambas votaram contra o Planalto. No caso de Soraya – a memória coletiva lembra que para se eleger ‘grudou’ na imagem de Bolsonaro e acabou de perder uma briga jurídica com seu suplente. Tem errado muito em pouco tempo. Não calça as sandálias de humildade e não tem grupo político. É o começo do fim?

“CHE TIEMPO GUARÉ’: Expressão guarani para denominar ‘a saudade de pessoas e de tempos do passado’. Com esse título Nery da Costa Jr, meu ex-colega do Conselho da OAB-MS e hoje desembargador do TRF da 3ª. Região lançando sua primeira obra literária com mais de 700 páginas onde alinhou conhecimento, pesquisa e sensibilidade. Nela, mergulha fundo na história, nas questões sociais e culturais de Amambai e região, onde nasceu e viveu até 1.999. Com essa obra ‘Nerinho’ resgata fatos e personagens importantes no contexto daquele cenário regional. É ler e viajar no tempo. Eu gostei.

‘COMPADRIO’: Só falta o Supremo Tribunal Federal opinar sobre receita culinária. Ironias a parte, aguarda-se a posição da Corte sobre a possibilidade de reeleição dos presidentes da Câmara e Senado como questiona o PTB. Embora o STF seja o poder moderador, o senador David Alcolumbre (DEM-AP) lembra que o assunto é uma questão interna do Senado. Como o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) também sonha com a reeleição na presidência da Câmara, a tendência é que o Supremo lave as mãos e deixe senadores e deputados resolverem suas questões de suas respectivas casas.

‘OH COITADO”:  Passados tantos anos o ex-presidente Lula (PT) vem a público pedir desculpas amarelas por ter concedido – no último dia (2011) de seu Governo – asilo ao terrorista italiano Cesare Battisti, da facção Proletários Armados pelo Comunismo.  Quem não se lembra? O então ministro Tarso Genro, da Justiça, alegou ‘razões de soberania’ para não atender o pedido de extradição da Itália?  Agora, Lula diz que foi enganado e a imprensa noticiando discretamente, mas sem criticar. É fácil entender. Basta ler o que a mídia italiana tem falado sobre esse episódio vergonhoso.

BOLA DE CRISTAL: O exercício de futurologia sobre a era pós pandemia tem sido muito praticado. Para alguns o homem mudará de comportamento, reverá sua postura e ambições materiais. Outros arriscam que haverá maior solidariedade em todos os níveis e que seremos mais imediatistas e simples. Mas um amigo opina: tudo voltará como antes; projetos, consumismo e cada um pra si. É como a velha história dos passageiros do avião dando as mãos e rezando na turbulência, mas que ao desembarcarem nem se despedem e nem agradecem o piloto pela habilidade salvadora demonstrada.

REVIRAVOLTA: Até o final de 2019 a situação de Donald Trump era excelente. O desemprego caiu, a confiança do empresariado disparou e nas pesquisas seria imbatível em 2020. Ele surpreendia com seu estilo e apesar de algumas gafes não se preocupava com a oposição. Mas veio a pandemia, ele apostou errado em contrariar a ciência. A economia piorou, o desemprego aumentou e as suas declarações criaram um clima que desembocou na violência das ruas. De favorito nas pesquisas, amarga agora posição incômoda. Ora! Em qualquer lugar do mundo é preciso respeitar o eleitor.

EM ALTA:  Inegavelmente que repercutiram muito bem as avaliações constatadas em pesquisas colocando Mato Grosso do Sul no seleto grupo dos 5 Estados que deverão sair da pandemia com saldo positivo de crescimento do Produto Interno Bruto.  A projeção que ultrapassaremos os 2,0% do índice de crescimento de 2019, anima e empolga, do campo à indústria.  Com isso o Governo investe alto em todos os segmentos da administração, na capital e interior. Isso é bom.

Se você quer saber o que Deus pensa do dinheiro, dê uma olhada nas pessoas a quem ele deu riqueza. (Dorothy Parker)

A pergunta: você já escolheu seu candidato a vereador?

)