Ao completar sete messes de enfrentamento à pandemia, o Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD) registra um acumulado de atendimento a pelo menos 130 pacientes confirmados para Covid-19, além de outros diversos casos suspeitos, somando 75 casos recuperados e 42 óbitos.

Em março, o HU-UFGD discutiu e aprovou o Plano de Contingência para enfrentamento à pandemia. Os primeiros casos suspeitos de Covid-19 chegaram ao hospital ainda na última semana de março.

Para elaboração do Plano de Contingência, levou-se em consideração o papel do hospital na rede local, sendo HU-UFGD o único a oferecer serviços de atenção à gestação de alto risco, neonatologia e UTI pediátrica.

O Plano foi dividido em três fases: inicial, avançada e crítica. Na primeira fase, o HU-UFGD ofertou um total de 37 leitos destinados a Covid-19.O Plano de Contingência do HU-UFGD contemplou diversos aspectos e mudanças importantes no funcionamento da rotina hospitalar, como, por exemplo, previsão de estoque e distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), impactos em contratos de prestação de serviço, adequações físicas e estrutura de leitos, redesenho das áreas de risco, das portas de entrada e fluxo de pessoas na instituição.

Os serviços eletivos, como exames, consultas e cirurgias eletivas, foram suspensos, conforme determinação também do gestor local, e áreas como o ambulatório e ala cirúrgica foram desocupadas, esta última para abrigar a maternidade e liberar espaço para alocação da ala Covid (enfermarias adulto e obstétrica).

Avanço

Devido ao avanço da contaminação pelo novo coronavírus na linha do adulto, o gestor local requisitou oito leitos de UTI adulto, e então, no início de abril, o HU-UFGD passou a oferecer oito leitos de UTI adulto para pacientes Covid e seis leitos de UTI adulto para pacientes não-Covid.Em julho, passou-se para a fase crítica, aumentando para 48 o número de leitos Covid.

Com abertura de mais uma UTI, o hospital passou a oferecer 14 leitos de UTI adulto para tratamento Covid, e cinco leitos de UTI adulto para pacientes não-Covid, mantendo-se a estrutura de leitos nas demais linhas de cuidado.

Reforço

Com a recente chegada de novos profissionais, via processo seletivo simplificado específico para enfrentamento a Covid, foi possível fechar escala e ampliar o número de leitos de UTI adulto.

O HU-UFGD passou então a ofertar 18 leitos de UTI adulto Covid na ala onde funcionava a enfermaria adulto e obstétrica Covid, sendo necessário reduzir leitos de enfermaria para ampliar leitos de UTI.

A oferta de leitos para tratamento Covid passou a um total de 42, mantendo-se até outubro na seguinte distribuição:

• UTI adulto Covid: 18

• UTI pediátrica Covid: 5

• UTI neonatal Covid: 2

• Enfermaria adulto Covid: 5

• Enfermaria pediátrica Covid: 8

• Enfermaria obstétrica Covid: 4

Empenho e dedicação

A alta gestão do HU-UFGD entende que, para além de todo o planejamento e estratégias de ação, os resultados obtidos até o momento só são possíveis graças ao empenho e à dedicação de todos os colaboradores, em especial os que estão na linha de frente da assistência aos pacientes.“Quero destacar o trabalho exemplar realizado pelo médico Hermeto Paschoalick, chefe da Unidade de Terapia Intensiva Adulto, e de toda a sua equipe. Sem esse comprometimento dos profissionais, a instituição certamente não teria alcançado bons resultados no enfrentamento à situação que vivenciamos nos últimos meses”, comenta o superintendente do HU-UFGD, Luiz Augusto Freire Lopes.