33.289 pessoas já foram vacinadas em Dourados

-

Dourados já tem 33.289 pessoas vacinadas, segundo dados da Sems (Secretaria Municipal de Saúde), após a realização do Dia D de imunização contra a covid-19, que aconteceu no sábado (06) em onze unidades de saúde. Para esta semana, a secretaria tem programada a aplicação das doses 2 em idosos com 70 anos ou mais.
Até o momento, o município recebeu 64.998 doses de imunizantes contra o coronavírus. Deste total, ainda há cerca de 600 doses das vacinas destinadas a realização de “dose 1”, e outras 2.770 doses para aplicação de “dose 2”.
“Entramos nesta fase, na qual os idosos com 70 anos retornam para fazer a “dose 2” da vacina. Então, já estamos contando o comparecimento em peso desta faixa etária nas unidades de saúde”, explica o secretário interino de Saúde, Edvan Marcelo Marques.
O secretário também explica que o município não faz estoque de vacinas, toda remessa recebida é destinada de forma ágil e organizada as unidades de saúde. “Nós recebemos as vacinas e, mediante a análise do calendário de imunização, destinamos o quantitativo de doses para fazer as aplicações das ‘doses 1 e 2’”, ressalta Edvan.

Onde tomar a vacina nesta semana?
As vacinas para aplicação de “dose 1” estão disponíveis nas unidades: Vila Rosa; Izidro Pedroso; Idelfonso Pedroso; Jardim Maracanã; CSU; Pq Das Nações II; Altos Do Indaiá; Parque Do Lago II; Jockey Clube; Ouro Verde e 4º Plano.

Quais grupos estão sendo vacinados com a “dose 1”?

  • Idosos com 63 anos ou mais;
  • Pessoas com 60 anos ou mais com doenças imunossupressoras, oncológicos com doença ativa em tratamento, transplantados de órgão sólido ou de medula óssea e renais crônicos, pneumopatias crônicas graves, portadores de doenças cardiovasculares crônicas que tenham sido submetidos a procedimentos operatórios;
  • Pessoas acima de 18 anos que têm síndrome de down, anemia falciforme, coagulopatias hereditárias, renais crônicos, pessoas com deficiências permanentes que apresentem limitação motora ou incapacidade, incapacidade de ouvir e enxergar e deficiência intelectual permanente que limite as suas atividades habituais;
  • Trabalhadores da Saúde com 36 anos ou mais e que manipulem fluídos ou secreções de pacientes confirmados ou suspeitos;
  • Trabalhadores da saúde em geral com 54 anos ou mais. Estão contemplados: Médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontólogos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais da educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares), agentes comunitários de saúde, agentes de combate às endemias, profissionais da vigilância em saúde e os trabalhadores de apoio (exemplos: recepcionistas, seguranças, trabalhadores da limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias, gestores e outros). Inclui-se, ainda, aqueles profissionais que atuam em cuidados domiciliares (exemplos: programas ou serviços de atendimento domiciliar, cuidadores de idosos, doulas/parteiras), funcionários do sistema funerário, Instituto Médico Legal (lML) e Serviço de Verificação de Óbito (SVO) que tenham contato com cadáveres potencialmente contaminados e; acadêmicos em saúde e estudantes da área técnica em saúde em estágio hospitalar, atenção básica, clínicas e laboratórios. Os trabalhadores que atuam nos estabelecimentos de serviços de interesse à saúde das instituições de longa permanência para idosos (ILPI), casas de apoio e cemitérios.

VEJA TAMBEM