Vale destacar que qualquer tipo de medicamento pode ser descartado no recipiente adequado. Foto: (Divulgação)

O Conselho Regional de Farmácia de MS (CRF/MS) desenvolve em Dourados neste sábado (19) o Drive Thru de Descarte Correto de Medicamentos e Eletrônicos. A primeira ação foi realizada em maio deste ano em Campo Grande, a ideia é expandir a iniciativa para conscientizar mais pessoas sobre o descarte correto e assim contribuir com a saúde das famílias e proteger o meio ambiente. O Drive Thru será no estacionamento da Farmácia Pague Menos, na Avenida Weimar Gonçalves Torres, 2596.

Segundo informações do Conselho, muitas famílias possuem em casa a “caixinha de medicamentos” e muitas vezes, parte deles vencidos. A destinação correta ajuda a evitar acidentes domésticos, principalmente com as crianças em casa, como também a preservação do meio ambiente, pois se descartado corretamente, evitará com que seja jogado no vaso sanitário, na pia ou qualquer outro ambiente. A situação dos eletrônicos é a mesma coisa, acabam sendo jogados em vias públicas.

Como neste período de pandemia a orientação é distanciamento social, a população poderá fazer o descarte do medicamento e do lixo eletrônico sem descer do veículo.

Vale destacar que qualquer tipo de medicamento pode ser descartado no recipiente adequado. Quanto aos eletrônicos, a Recic.LE receberá televisores inteiros, computadores, celulares, impressoras, telefones, calculadoras, teclados, som, entre outros. Na parte dos eletrônicos não pode ser descartado: pilhas, lâmpadas, tubo de TV, toner de impressoras ou produtos desmontados.

Em Mato Grosso do Sul existe a Lei Estadual Nº 5180 DE 12/04/2018 que torna compulsória a coleta de medicamentos vencidos em todas as farmácias e drogarias. A lei obriga as farmácias e drogarias manterem recipientes para coleta ou descarte de medicamentos, cosméticos e insumos farmacêuticos deteriorados ou com prazo de validade expirado, a disposição dos clientes.

Descarte – Uma pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF), por meio do Instituto Datafolha, em 2019, apurou qual é a forma mais usual de descarte dos medicamentos que sobram ou vencem, e 76% dos entrevistados indicaram maneiras incorretas para a destinação final desses resíduos.  Nas Regiões Centro-Oeste/Norte, o porcentual é ainda maior, 85%. O índice somente é superado pelo apurado na Região Nordeste, 87%. Nas regiões Sudeste e Sul os porcentuais foram de 75% e 53%, respectivamente. Pelos resultados da pesquisa, a maioria da população descarta sobras de medicamentos ou medicamentos vencidos no lixo comum. Quase 10% afirmaram que jogam os restos no esgoto doméstico (pias, vasos sanitários e tanque).

A pesquisa constatou ainda que a automedicação é um hábito comum a 77% dos brasileiros que fizeram uso de medicamentos nos últimos seis meses anteriores ao estudo. Quase metade (47%) se automedica pelo menos uma vez por mês, e um quarto (25%) o faz todo dia ou pelo menos uma vez por semana. Na região centro-oeste/norte este índice sobe para 80%, nordeste fica em 79%, sudeste (77%), sul (71%).