Segundo dados apresentados pelo Governo de Mato Grosso do Sul, satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) captaram 1.344 focos de calor no estado. Foto: (Divulgação)

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) vai dar todo o apoio necessário para conter os incêndios florestais que atingem o Mato Grosso do Sul, especialmente a região do Pantanal. Ainda nesta segunda-feira (14), deverá ser publicado, em edição extra do Diário Oficial da União, o reconhecimento federal de situação de emergência por conta do desastre natural.

Com o reconhecimento da Defesa Civil Nacional, o governo estadual poderá ter acesso a recursos da União para ações de socorro, assistência, restabelecimento de serviços essenciais à população e recuperação de infraestruturas públicas danificadas.

“Vamos dar uma resposta imediata a esse desastre que atinge um bioma importantíssimo do Brasil, com a transferência de recursos federais para que a situação seja controlada o mais rapidamente possível”, destaca o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. “O empenho dos recursos será feito de imediato, atendendo a uma ordem do presidente Jair Bolsonaro”, informa.

O secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, está em Mato Grosso do Sul desde o fim de semana e, na manhã desta segunda-feira, acompanhou a assinatura do decreto que declarou situação de emergência em todos os 79 municípios do estado. Ele detalhou os primeiros passos das ações conjuntas para o controle dos incêndios.

“Os repasses vão custear transportes, combustível e locação de aeronaves. Além disso, estamos elaborando vários planos de trabalho para acelerar o processo de aquisição do material necessário ao combate aos incêndios”, afirma Lucas.

Os trabalhos de combate ao fogo no Pantanal envolvem, além do MDR e do governo sul-mato-grossense, os Ministério da Justiça e do Meio Ambiente, além de órgãos como o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Defesas civis de outras unidades federativas também foram acionadas para contribuir nos trabalhos e para o possível envio de técnicos aos locais de desastre.

Panorama

Segundo dados apresentados pelo Governo de Mato Grosso do Sul, satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) captaram 1.344 focos de calor no estado. Corumbá (378), Alcinópolis (373) e Pedro Gomes (130) são as cidades mais atingidas.