O Laboratório de Fertilidade do Solo contribuirá para análises de solo da região. Foto (UEMS)

A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Unidade de Mundo Novo, e a ITAIPU Binacional assinaram um Convênio de Cooperação Técnica e Financeira para construir e equipar um “Laboratório de Fertilidade do Solo” e um “Herbário”, além de  desenvolver ações socioambientais e técnico-científicas na região do Cone-Sul do Estado. O valor total a ser investido será de R$ 7,8 milhões, dos quais R$ 5 milhões serão repassados pela Usina Hidrelétrica.

Nesta sexta-feira (11), integrantes do corpo técnico da Itaipu Binacional visitaram a UEMS de Mundo Novo para conhecer os locais onde serão construídas as instalações previstas no Convênio e se reuniram com o Gerente da Unidade Universitária, professor Leandro Marciano Marra, e com o grupo de docentes que farão parte do projeto.

O Laboratório de Fertilidade do Solo contribuirá para análises de solo da região, o que beneficiará os produtores rurais e as empresas públicas e privadas de Mato Grosso do Sul.

O Secretário de Governo e Gestão Estratégica (Segov) do Estado, Eduardo Corrêa Riedel, destaca que ações de educação, ciência e tecnologia são prioridade do atual Governo. “Esse convênio não é só infraestrutura. É um modelo de referência com objetivos específicos que abrigará perspectivas positivas, desafios, atuando como um campo fértil para a produção do conhecimento e desenvolvimento da sociedade”.

Além disso, o Herbário, que será o primeiro da UEMS, construído na Unidade de Mundo Novo, fortalecerá o conhecimento sobre os exemplares da flora brasileira e toda sua biodiversidade.

“Esse convênio demonstra o potencial que a Universidade tem, especialmente a Unidade de Mundo Novo, de contribuir com o desenvolvimento sustentável de Mato Grosso do Sul. Além disso, essa parceria proporcionará novos horizontes para o Ensino, a Pesquisa e a Extensão no Cone-Sul e fortalecerá, cada vez mais, essa região do Estado, afirma o Reitor da UEMS, professor Laércio Alves de Carvalho.

Já o desenvolvimento de Ações Socioambientais e Técnico-Científicas visam contribuir, em contrapartida, com a diminuição dos danos ambientais causados pelo surgimento de processos erosivos, carreamento de metais pesados, poluição das águas e do solo. Esses fatores, aliados a outras ações antrópicas culminam no arraste de sedimentos às bacias hidrográficas que abastecem o lago de ITAIPU e, portanto, contribuem para a diminuição da vida útil do reservatório, geram maiores gastos com manutenção da barragem e aumentam os custos da geração de energia.

“Esse investimento que estamos fazendo na região vai ao encontro de uma necessidade muito importante, que é a conservação da qualidade da água e da vida útil do reservatório, permitindo a geração de energia”, avaliou o diretor de Coordenação da Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell.

O convênio, que foi assinado na primeira quinzena de agosto de 2020, terá 36 meses de vigência para execução do que está previsto no Plano de Trabalho. A parceria contará ainda com ações nas áreas de Educação Ambiental, Ecologia e Conservação, Sustentabilidade, dentre outras.

Infraestrutura

Serão construídos 481 m² de obra, sendo 150 m² para o Herbário e 331 m² para o Laboratório de Fertilidade do Solo. Totalizando um valor aproximado de R$ 2 milhões em obras.

Também serão adquiridos mais de 70 equipamentos de laboratório, um micro-ônibus de 25 lugares, um moto gerador para autonomia de energia na Unidade I da UEMS de Mundo Novo e um novo Transformador, além da previsão de construção e instalação de hidrantes.

O gerente da UEMS de Mundo Novo enfatiza que tanto o Laboratório de Fertilidade do Solo, quanto o Herbário serão de grande importância para a Universidade, a cidade de Mundo Novo e o Mato Grosso do Sul.

“Esse projeto fortalece parcerias, diversifica o olhar da Itaipu Binacional sobre essa região do Cone-sul e Sul-fronteira, além de fortalecer os novos projetos da UEMS, como a implantação do curso de Agronomia para nossa Unidade. Esse projeto, realizado pelo corpo docente da UEMS, vem a somar com o desenvolvimento técnico-científico e prestação de serviço de qualidade a produtores rurais e à sociedade em geral”, afirma Leandro Marciano Marra.

Tecnologia e Conhecimento

Do valor repassado, mais de 700 mil reais serão investidos no desenvolvimento de dez projetos de pesquisa e oito projetos de extensão. Treze docentes estão envolvidos nas atividades, sendo onze da UEMS Mundo Novo, um da UEMS de Aquidauana e um da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Integrantes do corpo técnico da Itaipu Binacional também acompanharão as atividades.

O Herbário, construído na Unidade de Mundo Novo, será o primeiro da UEMS. A professora Vanessa Pontara explica que os Herbários documentam a biodiversidade florística de uma determinada região, sendo importantes fontes de consultas para pesquisadores do Brasil e do mundo. “Além disso, as coleções botânicas apresentam realidades, a exemplo da perda da biodiversidade, que servem como base para a elaboração de políticas para o desenvolvimento sustentável e para a preservação do meio ambiente”, detalha a docente da UEMS.

A ideia é que o Herbário também seja utilizado, entre outras funções, para armazenar exemplares da flora do Refúgio Maracaju, pertencente à Itaipu Binacional, localizado na divisa do Brasil com o Paraguai, entre as cidades de Mundo Novo e Salto del Guairá.

“Essa região carece de infraestruturas capazes de auxiliar nos levantamentos da flora, apoiar os inventários da biodiversidade e orientar os agricultores quanto às melhores práticas do manejo e conservação do solo e da água; com essa parceria, será possível colocar em prática essas e outras ações”, apontou o superintendente de Gestão Ambiental da Itaipu, Ariel Scheffer da Silva.