Comerciantes convocam protesto para pressionar reabertura de fronteiras com MS. (Foto: Arquivo)

A Câmera de Comércio de Pedro Juan Caballero marcou para esta terça-feira (22) uma manifestação para pressionar as autoridades paraguaias pela reabertura da fronteira com o Brasil. O protesto está marcado para começar nas primeiras horas do dia e será realizado na portaria da Alfândega e na Administração de Navegação e Portos, que ficam ao lado da Linha Internacional. Os manifestantes prometem fechar os locais e impedir o desembaraço comercial de produtos e o trânsito de pessoas que precisam entrar ou sair do Paraguai.

Na semana passada o governo paraguaio começou a estabelecer um protocolo de comércio entre os países vizinho e foi cogitada inclusive a abertura da Ponte da Amizade entre Ciudad del Este e Foz do Iguaçu (PR) e comerciantes de outras cidades que não seriam beneficiados com a medida protestaram.

Segundo Víctor Barreto, presidente da Câmara de Comércio de Pedro Juan Caballero, os comerciantes estão unidos e determinados a pedir o fim do fechamento da fronteira e pediu a toda a comunidade de Pedro Juan Caballero que saia às ruas para apoiar o movimento que representa a volta de milhares de empregos e a geração de renda na região. “Manter a fronteira fechada, já não faz mais sentido, muitos comerciantes já fecharam definitivamente as suas lojas e os poucos que sobrevivem estão prestes a jogar a toalha, por isso amanhã vamos sair para exigir a abertura da fronteira com a Ponta Porã¨, disse o presidente da Câmara de Comércio de Pedro Juan Caballero.

Segundo ele, cerca de cinco mil funcionários demitidos das centenas de estabelecimentos comerciais que fecharam após o fechamento da fronteira, se preparam para sair em apoio à Câmara de Comércio para exigir a reabertura da fronteira com Ponta Porã e, assim, sonhar novamente com um emprego.

Barreto disse que o comércio do Departamento de Amambay já vinha sofrendo um recesso havia três anos, mas com a chegada da Covid 19, a situação se agravou e a economia local desmoronou. “Precisamos ter do Governo Central uma solução para a reabertura da fronteira e isso precisa aliar a segurança sanitária com a retomada da economia. Não dá mais para ficar como está e por isso vamos protestar”, disse ele.

Convocados em outras oportunidades para protestos o outros atos a participação popular sempre foi muito grande e um grande número de pessoas é aguardado para a manifestação desta terça-feira. Não há informações se brasileiros que trabalham no comércio de Pedro Juan Caballero irão aderir ao protesto.