Alunos da Escola Fernando Saldanha durante evento científico realizado em Lima, no Peru.(Foto:Divulgação)

Os alunos Alan Almada Ortiz e Tainara Cordeiro Ramalho, da Escola Estadual Fernando Saldanha, de Ponta Porã, acompanhados pelo professor José Ramão de Souza Chiquitin, estiveram participando de uma feira científica realizada em Lima, capital do Peru.

O evento internacional realizado todos os anos, reúne estudantes de diversos países. Os alunos de Ponta Porã que representaram a Escola Fernando Saldanha foram os únicos do centro Oeste do Brasil a participar da Feira.

O professor orientador José Ramão de Souza Chiquitin explicou que a “Feria de Ciências e Tecnologia Internacional” é um evento cientifico que exige credenciamento. Para estar em Lima, é preciso se destacar em outro evento científico, algo que os alunos da Escola Fernando Saldanha já tinham conquistado. “Não é qualquer projeto que participa deste evento científico. Ele reúne a América do Sul inteira. São alunos de nível médio/técnico na faixa etária dos 15 e 16 anos. A maioria de quem participou é formada por escolas de nível técnico. Nosso caso é de escola de nível médio normal, ou seja, isso engrandece ainda mais o trabalho dos alunos que não têm o suporte que uma escola técnica oferece”, afirmou o professor.

Segundo ele Ponta Porã participou com dois projetos: o Hands Translator e o Discovery You Number desenvolvidos na Escola, dentro das atividades desenvolvidas pelo Propeti na Escola Estadual Fernando Saldanha. “São trabalhos elaborados com base em programação. Para uma escola trabalhar com esse tipo de material, tem que oferecer ensino técnico. Na cidade só a nossa escola consegue fazer isso”.

Importante destacar que a Tainara e Alan fizeram uma brilhante apresentação.  Fizeram em espanhol a apresentação aos visitantes da Feira. A Feira reuniu 45 projetos de diversos países. Mais de 2 mil visitantes de escolas, colégios, universidades, num espaço localizado na região central de Lima, no Club Unión, na Praça das Armas.

Além das apresentações brilhantes dos meninos, eles apresentaram os projetos para a equipe de orientadores/ assessores da Feira. Passaram por muitos questionamentos e deram respostas de maneira segura, com embasamento, demonstrando muito conhecimento nos temas.

Para viajar houve uma mobilização da comunidade escolar. Era preciso garantir o dinheiro para custear as despesas do pequeno grupo. Somente de passagens até o Peru o valor era considerado alto. E ficou ainda mais caro porque a cidade de Lima sediou naquelas dias a final da Copa Libertadores, o que encareceu ainda mais passagens e estadia. “Mas nos unimos e fizemos muitas promoções para arrecadar fundos para custear a viagem ao Peru. Ajuda de todos. Os pais se engajaram neste projeto e muita gente acabou ajudando comprando nossas promoções. O Vereador Marquinhos ajudou. Juntamos o suficiente para ficarmos uma semana lá. 95% dos recursos foram obtidos pela escola junto à comunidade. O diretor Leandro Pereira da Silva e a vice Marjorie Lageano foram fantásticos. Saímos dia 18 e voltamos dia 23 de novembro”, disse o professor.

Tanto esforço rendeu uma enorme recompensa. Além da experiência internacional inesquecível, os alunos ficaram em 1º e 2º lugares na categoria Matemática e Ciência da Computação. Os dois projetos foram inscritos nesta categoria. O Hands Translater em primeiro e Discorery You Number- DYN em segundo lugar. “Para nós isso é altamente positivo e demonstra que os meninos estão muito preparados nesta área. Ganhamos um credenciamento para o Chile em 2020, uma feira científica realizada em Santiago, nos meses de agosto e setembro. Queremos levar o Hands Translater no Chile. Os alunos já estão estudando sobre inteligência artificial para ajustar ao que pede a semana Nacional de Ciência e Tecnologia do MEC do ano que vem. Dos 45 projetos inscritos na feira do Peru nosso ficou em quarto lugar geral. Voltamos para o Brasil com medalhas, troféu e certificados”, declarou, feliz, o professor orientador da turma.

Outra conquista dos alunos da Escola Fernando Saldanha foi no Fecifron, evento realizado pelo Instituto Federal de Mato Grosso do Sul. O grupo ficou em primeiro lugar e se credenciou para ir para Florianópolis, Santa Catarina, participar da INFOMATRIX, feira de ciência e tecnologia que credencia para projetos na Espanha, Emirados Árabes e Estados Unidos”.