O empresário era dono do shopping Queen Anne, um dos primeiros em Salto del Guairá, na divisa com Mundo Novo, em Mato Grosso do Sul

O assassinato do empresário Cristóbal Rojas, de 57 anos, pode ter ligação com caso câmbio investigada durante a operação conjunta denominada Status envolvendo as polícias do Paraguai e do Brasil, realizada na semana passada.

Segundo o promotor Christian Bartomeu, que investiga o assassinato do empresário , o crime pode ter vínculo entre ele e seus irmãos com ações de uma casa de câmbio, mas que estavam tentando vendê-las.

“Estamos investigando com respeito e, de fato, os irmãos Rojas teriam vínculos para trocar ações da casa, mas aparentemente eles estavam em uma fase de venda dessas ações. Se havia algum problema, (os familiares) não sabiam ”, relatou o promotor ao ABC Color.

O agente disse que “vai cruzar os dados” e que “tudo o que aconteceu do outro lado da fronteira não é um fato menor”. Parentes de Rojas afirmam que seu assassinato está relacionado a outro homicídio, o de seu filho, ocorrido em 2012.

De acordo com os dados da investigação, Rojas estaria recebendo constantes pedidos de dívidas milionárias de várias pessoas e empresas, entre elas a firma Zafra Cambios de Pedro Juan Caballero, que tem filial na cidade de Salto del Guairá.

Rojas foi sequestrado no cemitério de Salto, torturado e morto. Seu corpo foi encontrado na beira de uma estrada rural na manhã desta quarta-feira (16). O empresário era dono do shopping Queen Anne, um dos primeiros em Salto del Guairá.