Somente depois que o incêndio foi controlado que os corpos foram retirados das ferragens.(Foto: Correio News)

Já em cerca de sete hora de trabalho, o Corpo de Bombeiros de Chapadão do Sul começa a fazer o rescaldo do incêndio em três carretas ocorrido por volta de 8h30 na rodovia MS-306, cerca de 18 KM distante de Chapadão do Sul em direção a Cassilândia. Os três motoristas das carretas morreram carbonizados e agora pouco os corpos foram resgatados dos destroços e levados para Cassilândia, pois em Chapadão do Sul ainda não existe IML nem Perícia Técnica.

Até agora é conhecido apenas o prenome de um dos motoristas, Ronaldo, condutor de uma carreta transportando carne de Mato Grosso que seguiria para Santos. Desde o início do atendimento, pouco antes de 9h, o Corpo de Bombeiros conta com uma Força Tarefa composta por colaboradores com caminhões pipa e contra incêndios pertencentes a fazenda, empresas e usinas da região, que auxiliaram tanto no combate ao fogo como no abastecimento dos caminhões dos Bombeiros.

O acidente envolvendo duas carretas e uma bitrem ocorreu em um ponto de longa subida, mas que é permitida a ultrapassagem. Consta que uma das carretas transportando carne que havia saído de Guarantã do Norte, em Mato Grosso, com destino a Santos (SP) trafegava no sentido Chapadão do Sul/Cassilândia e duas faziam o sentido contrário, uma transportando ração e outra com embalagens, quando o motorista de uma delas tentou ultrapassagem, provocando o acidente, um dos mais graves nos últimos anos na região.

Um colega do motorista da carreta com carne bovina disse que viajavam em comboio e a aproximadamente dois quilômetros antes ele teria parado para urinar. Quando retomou a viagem, ao se aproximar do local avistou a carreta do amigo e as outras duas em chamas. Ele disse que não avistou nenhuma das vítimas, pois o fogo imediatamente tomou conta dos três veículos nada foi possível ser feito.