Socorristas do SAMU foram ao local, mas a vítima estava morta.(Foto: Divulgação)

Dois homens estão presos acusados de participarem do homicídio e da tentativa de homicídio na madrugada de ontem em frente a um bar na avenida Brasil em Ponta Porã. Os dois foram presos quando fugiam para Campo Grande e estão sendo autuados na Polícia Civil de Ponta Porã. Em Sidrolândia foi preso Bruno Rosa dos Santos de 20 anos, que estava em um táxi e que pouco antes tinha apresentado documentos falsos para policiais militares de Vista Alegre em Maracaju.

Ao ser preso, disse aos policiais que tinha se envolvido em uma briga generalizada que se transformou em tiroteio em um bar de Ponta Porã e que armado de uma pistola teria atirado contra Leandro Reis do Nascimento de 34 anos que morreu na hora. Durante o tiroteio Emerson da Silva Miguel de 41 anos, o Fininho, foi atingido por três tiros e socorrido para o Hospital Regional. Um outro homem identificado como André Vinicius Cigerna, o Cabelo também foi ferido e levado em estado grave para o Paraguai.

Quando era trazido para Ponta Porã, Bruno Henrique ofereceu R$ 30 mil e 50 gramas de ouro para ser liberado. Ele disse que saiu de uma organização criminosa e que por isso estava sendo ameaçado de morte.

Quando a equipe de Sidrolândia chegou em Vista Alegre a PM tinha prendido Bruno da Silva Medeiros que está ferido com um tiro em uma das pernas. Ele também tinha participado da confusão e tentava fugir para Campo Grande. Os dois foram levados para o Primeiro Distrito Policial de Ponta Porã e autuados pelo delegado Eduardo Ferreira de Oliveira.

Na casa de um dos acusados na Vila Renô, a polícia encontrou um carregador de pistola, documentos falsos, munição e cerca de 100 gramas de skank.

O motivo da briga teria sido o desentendimento entre membros de organizações criminosas e a polícia procura agora por Cabelo e por um homem identificado como Luquinhas que teria guardado uma das armas usadas no crime. O caso segue em investigação.