Operação na fronteira com MS encontra plantações de maconha com irrigação

-

Policiais brasileiros e paraguaios já destruíram 66 hectares de área cultivada
Para conseguir abastecer o mercado dos países e também da Europa, os narcotraficantes estão investindo cada vez na produção de maconha. É o que demostram as ações de policiais brasileiros e paraguaios que já localizaram e destruíram 66 hectares de lavouras, algumas delas com sistema avançado de irrigação.
A Operação “Nova Aliança XXIV” é realizada pela Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), com o apoio da FTC (Força Tarefa Conjunta), do Ministério Público Paraguaio e também da Polícia Federal Brasileira, que utiliza 4 helicópteros.
O foco é a destruição de plantações ilícitas e campos de drogas na área de Capitán Bado, Amambay, por pelo menos 15 dias consecutivos. Além dos 66 hectares de plantações de maconha já destruídos, e da identificação de 13 campos de narcóticos, a operação já tirou de circulação, 200,6 toneladas de maconha.
Segundo a coordenação da Operação “Nova Aliança XXIV”, no primeiro dia, chamou a atenção a existência de acampamentos com sistema de armazenamento de água e mangueiras para irrigação.
Além disso, foi detectado o uso de potes de borracha e meia sombra para a germinação de mudas de maconha. Com isso estariam aprimorando os processos para uma melhor “qualidade” da droga a ser comercializada nos grandes mercados consumidores.

VEJA TAMBEM