A Polícia Federal realizou ontem a Operação Warehouse que cumpriu sete mandados de busca e apreensão. A ação tem como alvo principal uma servidora da Receita Federal do Brasil (RFB) que desviava mercadorias contrabandeadas apreendidas pelo órgão. A servidora foi denunciada pelos próprios colegas da Receita Federal, após ser surpreendida no momento em que empreendia a ação delituosa em pleno Depósito da RFB de Mundo Novo.

As investigações começaram a partir da lavratura de prisão em flagrante da servidora, por suposta prática de crime de peculato, em razão da apropriação de mercadorias apreendidas no depósito. O caso foi levado à Delegacia da Polícia Federal em Naviraí, que iniciou a investigação. Após a prisão, representou-se pela expedição dos mandados de busca e apreensão, sendo dois mandados cumpridos na quarta feira (30) e os outros cinco mandados cumpridos na data de ontem (01). Todos os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Naviraí.

Os alvos dos mandados consistiam em residências de particulares e de outros servidores da Receita Federal, além das salas utilizadas por estes na Inspetoria da RFB em Mundo Novo.

A ação da Polícia Federal contou com apoio do Ministério Público Federal e também da própria Receita Federal.

A Polícia Federal ressalta que, em razão da situação de pandemia da COVID-19, foi planejada uma logística especial de prevenção ao contágio, com distribuição de EPIs a todos os envolvidos na missão, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas, investigados e seus familiares.

Warehouse significa “depósito” em inglês, ou seja, o local de onde foram subtraídas as mercadorias apreendidas pela RFB e, depois, desviadas pelos suspeitos.