Eleição da Mesa Diretora está  indefinida, avisa Rogério Yuri

-

Vereador eleito garante que uma segunda chapa está sendo construída para disputar a presidência. (Foto: Arquivo)

O vereador eleito Rogério Yuri (PSDB) disse neste final de semana em entrevista à equipe de jornalismo da rádio Grande FM que a eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Dourados está indefinida. A afirmação do arquiteto eleito para o primeiro mandato foi uma ducha de água fria no grupo liderado pelo vereador eleito Laudir Munaretto (MDB), que já anunciou inclusive a composição de todos os cargos da Mesa Diretora para o biênio 2021/2022. “Estou na política há quase 30 anos e mais efetivamente há cerca de 20 anos, e nesse tempo todo eleições de Mesa Diretora têm se decidido aos 45 do segundo tempo ou, as vezes, na prorrogação do jogo”, enfatizou Yuri ao fazer analogia com uma partida de futebol.

Ao ser questionado pela equipe de jornalistas se a eleição da Mesa Diretora já estava definida, Rogério Yuri foi enfático: “Não é assim que se define eleição de Mesa Diretora, com todo esse tempo de antecipação, ou seja, você pode mudar o jogo até na prorrogação”, afirmou. Ele deixou claro, ainda, que não participou de nenhuma composição para definir os nomes da chapa liderada por Laudir Munaretto. “Eu não fui convidado para nenhuma reunião para discutir consenso, depois que definiram lá me chamaram, mas não participei disso não”, ressaltou.

Rogério Yuri disse ainda que uma segunda chapa estaria em construção para disputar a presidência da Câmara Municipal. “Meu partido está construindo para o Sérgio Nogueira ser candidato e como sou de partido, se ele se viabilizar vou votar nele”, avisou. “Me reuni com o Diretório Estadual essa semana em Campo Grande e ficou definido que o PSDB não abre mão de fazer parte do comando do Poder Legislativo para ser o interlocutor do Executivo Municipal com o Governo do Estado”, completou Rogério Yuri.

O vereador explicou ainda que não tem qualquer compromisso formal com a candidatura de Laudir Munaretto. “O Laudir pediu meu voto e deixei claro que poderia somar se o PSDB fosse compor a Mesa Diretora, mas não houve avanço nesse sentido e agora vejo que tem um grupo de 8 vereadores disposto a construir uma alternativa”, antecipou. “Não tem nada definido não. Ainda nem começou a partida, está tudo indefinido e ainda existe muita coisa para se definir”, completou.

Durante a entrevista na Grande FM, Rogério Yuri deixou claro ainda que ele próprio pode ser candidato à presidência. “Também não fujo da responsabilidade se for chamado para disputar a presidência da Câmara, mas o Sérgio Nogueira está na frente construindo isso e caso ele viabilize a chapa eu votarei nele”, ressaltou.

RESISTÊNCIA

A chapa anunciada por Laudir Munaretto teria o vereador eleito Cemar Arnal (Solidariedade) como vice-presidente, o vereador eleito Juscelino Cabral (DEM) como 1º Secretário e a vereadora eleita Lia Nogueira (PP) como 2ª Secretária. Contudo, a presença de Cemar na chapa estaria dividindo o grupo que prega transparência, probidade e modernidade na gestão. Tudo porque Cemar foi um dos vereadores envolvidos na Operação Uragano e muitos dos novatos que assinaram o compromisso com Laudir Munaretto não aceitam votar nele para a Mesa Diretora.

A Carta “Por uma Dourados diferente”, assinada por 12 vereadores eleitos destaca que “as urnas produziram um novo quadro político no município, e isso deve ser entendido como recado bem claro, é preciso fazer diferente daqui pra frente”. Como eles entenderam que as urnas deram um recado bem claro, muitos começam a recuar na decisão anterior de votar em Cemar Arnal para vice-presidente, abrindo espaço para a construção de uma chapa alternativa.

VEJA TAMBEM