Lia Nogueira sugere Frente Parlamentar para acompanhar negociação dos salários do funcionalismo municipal

-

A vereadora, Lia Nogueira(PP), irá apresentar proposta de criação de uma Frente Parlamentar que deverá acompanhar de perto as negociações da atual administração para o pagamento do funcionalismo público municipal. Esta semana, a vereadora participou da reunião em que o prefeito, Alan Guedes(PP), junto ao seu secretariado, relatou a crise financeira do município. 


De acordo com Lia Nogueira, após ouvir da nova gestão que não há recurso para o pagamento da folha salarial de dezembro, a qual gira em torno de R$ 32 mi, a vereadora considerou ser necessária a intervenção do Legislativo na solução deste impasse. “Sabemos das dificuldades encontradas pela nova administração, da situação de falência da Prefeitura de Dourados, mas não podemos admitir que o servidor municipal venhar arcar com mais esse ônus. Quem trabalhou necessita e merece receber os seus vencimentos, é uma questão de direito; de garantia da dignidade”, destacou Lia.


A vereadora informou que durante a reunião no auditório do CAM(Centro Administrativo Municipal), questionou o prefeito sobre os repasses do Fundeb(Fundo da Educação Básica), destinados ao pagamento dos profissionais da Educação. Segundo ela, o prefeito alegou que do Fundeb só há o montante de R$1,8 mi, e ainda assim a administração anterior fez o empenho da folha de dezembo em zero, portanto, não há dinheiro em caixa. Informação essa, segundo Lia Nogueira, rebatida pelo ex-secretário municipal de Fazenda, Carlos Augusto Pimentel, em declarações feitas nas redes sociais.


“Percebi uma espécie de “queda de braço”. A administração anterior garante que deixou dinheiro em caixa, já a atual alega só ter disponível o montante de R$ 10 mi, cuja maior parte do recurso foi proveniente de aporte financeiro da Câmara. E no meio deste impasse, estão aproximadamente oito mil servidores que precisam receber seus salários para poder honrar com os seus compromissos”, frisou.


Lia Nogueira, explicou que o Legislativo Municipal, não pode deixar de cumprir com sua missão e dever de fiscalizar os recursos públicos. “A pergunta que não quer calar é a seguinte…esse recurso consta ou não no caixa do município? Alguém está faltando com a verdade? A população tem nos questionado e por isso, acredito ser oportuno o momento para a criação de uma Frente Parlamentar que irá atuar na busca dessas respostas e ao mesmo tempo, acompanhar de perto as negociações do Executivo para a devida quitação da folha de dezembro do funcionalismo público municipal”, ressaltou.A vereadora disse ainda que já conversou com alguns colegas de parlamento sobre a possibilidade desta Frente, alguns deles inclusive se mostraram favoráveis à criação.    

VEJA TAMBEM