Durante a cerimônia de posse realizada na noite desta quinta-feira, 28 de novembro, o professor João Carlos de Souza, novo presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) de Dourados, reforçou em seu discurso a unificação da esquerda, sem vaidades, para que a população tenha uma alternativa política para Dourados e, principalmente, para enfrentar a oposição, ultraliberal, que está colocada hoje no País. A posse aconteceu no auditório do Hotel Grandelli e contou com a presença maciça de filiados, simpatizantes, lideranças sindicais, integrantes de movimentos sociais e de outros partidos, como PSOL e PCdoB.

João Carlos também lembrou do importante papel dos partidos de esquerda nos debates e na construção de projetos para a sociedade e destacou que o desmonte dos direitos dos brasileiros se enfrenta com propostas. “E nós temos uma responsabilidade sobre isso, para a elaboração de projetos e programas comuns fazendo alianças programáticas, primando por valores que são inegociáveis e isso temos que aprender na política”, disse.

João pediu, ainda, aos filiados presentes que se responsabilizem pelas finanças do partido, para que não haja dependência do Diretório Municipal com relação a outras instâncias. “Para nos fortalecermos, precisamos nos autossustentar, isso fortalece o PT municipal, nosso trabalho e a construção de projetos locais consolidados”. E solicitou a todos os presentes, em especial à juventude, que não percam a capacidade de indignação. “A cada dia temos notícias terríveis e não podemos nos habituar a isso. A conjuntura econômica está difícil e em âmbito mundial o bem-estar social está sendo desmontado. O papel dos movimentos sociais e dos sindicatos vem retardando esse processo ao longo do tempo, por isso precisamos nos unir ainda mais, principalmente para fazermos oposição a esse governo, que tem tratado todos como objeto”.

No encerramento, João Carlos reforçou que quanto mais desigual for o País, mais difícil será exercer a democracia. “A divisão da sociedade está cada vez mais injusta. A maior parte da população brasileira não tem acesso aos serviços básicos e isso tem se intensificado e nós precisamos dar uma alternativa de respostas à sociedade, respeitando cada setor, reconhecendo a diversidade de uma sociedade”. João aproveitou para fazer uma crítica à postura da esquerda local, que nos últimos anos não apresentou uma alternativa política para a cidade.

“O que podemos oferecer para Dourados? A melhor experiência é visitar as pessoas, enxergar suas dores e necessidades, conhecer a realidade dos bairros, das comunidades, e isso tem que ser feito com o coração. Nos aproximamos de Deus quanto mais humanos formos e meu compromisso com o PT surge a partir dessa dimensão antropológica. Temos muitos desafios pela frente que precisam de coragem”, finalizou.

Além do presidente, foram empossados durante a cerimônia 22 membros do Diretório Municipal, 11 homens e 11 mulheres, mais os membros da Comissão de Ética e Fiscal.

MESA DE LIDERANÇAS

Ocuparam a frente da mesa de lideranças: Natal Gabriel Ortega, ex-presidente do Diretório Municipal do PT de Dourados; o ex-deputado estadual e federal pelo PT de Dourados, João Grandão; o ex-prefeito de Dourados, Laerte Tetila; a representante do Setorial de Juventude do PT e secretária de Movimentos Populares, Marisa Motta; o agente cultural Ilson Venâncio; o coordenador estadual do Movimento Sem Terra, Ronildo Lopes de Lima; a representante do Setorial LGBT, Hindyra Brito; a representante do Movimento Negro, Sueli Rocha; o representante dos indígenas, Argemiro de Souza; o vereador Elias Ishy; o representante da coordenação estadual do PT, Humberto Amaducci; a presidenta do Diretório Municipal do PT de Ponta Porã, Denise Oliveira; a Dirigente Estadual da CUT, Gleice Jane, e o presidente do PSOL, Ênio Ribeiro.