Durante a tribuna na sessão ordinária, Sergio Nogueira pediu a reabertura dos parques públicos e a volta das atividades esportivas.(Foto: Reprodução/Youtube)

A Prefeitura de Dourados liberou nesta semana, por meio do Decreto n° 3.007, publicado em edição suplementar do Diário Oficial do Município, a reabertura “gradativa” dos parques públicos e a retomada das atividades esportivas no município. Esta demanda foi requerida pelo vereador Sergio Nogueira (PSDB) já há alguns meses e o parlamentar comemorou a publicação.

“Comemoro mais uma vitória, pois há meses venho cobrando da administração municipal o mesmo tratamento para os frequentadores dos parques, que foi dado aos que dão preferência a caminhadas no centro comercial e no shopping. Essa reabertura dos parques e praças é uma conquista para a comunidade douradense que resultará em melhoria na qualidade da saúde dos que têm a prática da caminhada como hábito e prática diária”, mencionou Sergio Nogueira.

O 1º secretário da Casa de Leis havia solicitado a reabertura durante as sessões ordinárias da Câmara e encaminhado requerimento pedindo um plano de estudos para a retomada das atividades esportivas e a reabertura dos parques seguindo todos os protocolos de biossegurança. Como justificativa, Sergio Nogueira afirmou que especialistas defendem as atividades físicas na melhoria da saúde e o bem-estar de toda a comunidade, com um alerta para a necessidade de cuidados redobrados no retorno dos exercícios em meio à pandemia de Covid-19.

O novo Decreto dispõe sobre as medidas de biossegurança para a reabertura dos parques públicos e o retorno dos esportes individuais e coletivos. A prefeitura listou uma série de recomendações com base nas medidas de biossegurança contra o contágio do coronavírus, como o uso obrigatório de máscara, manter o distanciamento social entre os visitantes e pessoas que fazem parte do grupo de risco devem evitar visitação nos parques.

Além disso, não é recomendado o uso dos “dispositivos de ginásticas coletivos, brinquedos e outros aparelhos de uso compartilhado devido a impossibilidade de higienização após o uso por cada indivíduo”. Os locais deverão exibir informações acerca da Covid-19 e das medidas de prevenção, registro diário de todos os usuários e colaboradores, disponibilização de álcool 70%, entre outras recomendações.