Estrutura de enfrentamento ao Covid-19 implementada pelo Hospital Cassems de Campo Grande será um dos destaques do 1º Fórum Nacional sobre o Coronavírus a ser realizado pelo Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde

O Fórum será realizado nos dias 19 e 20 de maio, em plataforma online, e vai abordar as formas de agir frente a maior pandemia dos últimos tempos, desde o planejamento até os processos de retomada da rotina de assistência em saúde. O evento foi dividido em três fases: a primeira tratará sobre as ações prévias à pandemia, com o tema Governança e Preparação para a Crise. A segunda fase é um Diagnóstico e Ações Durante a Pandemia. A terceira e última fase é o Planejamento da Retomada Pós-Crise.

Andreza Camargo, enfermeira do setor de Qualidade do Hospital Cassems de Campo Grande e membro do Comitê de Crise e Enfrentamento ao Covid-19, representará a unidade hospitalar e abordará o tema: a mudança estrutural e os processos de gestão da qualidade na preparação para atendimento da Covid-19, dentro da primeira fase do Fórum. Durante a palestra, a enfermeira falará sobre o desafio de planejar e executar ações de resposta rápida que sejam eficazes e, ao mesmo tempo, proporcionem melhoria da qualidade, identificando deficiências e soluções que contribuam o enfrentamento de uma crise de proporções da pandemia do Covid-19.

No Hospital Cassems de Campo Grande, mesmo antes do aumento dos casos de Covid-19 no Mato Grosso do Sul, as equipes de profissionais do Hospital Cassems de Campo Grande começaram a se movimentar para o planejamento de ações integradas para o atendimento de pacientes suspeitos e confirmados com o novo coronavírus. Andreza explica que a gestão da qualidade, em conjunto com o trabalho da equipe multidisciplinar nesse período de pandemia visou, principalmente, “incorporar métodos de prevenção e controle, bem como estratégias de melhoria promissoras na preparação, vigilância, estruturação de fluxos, processos, controle e gerenciamento de riscos na assistência em saúde, mobilizando pessoas estruturas e tecnologias”.

Desde o mês de janeiro deste ano as equipes discutiram os protocolos a serem aplicados e também a criação de uma estrutura especial para o atendimento seguro dos casos respiratórios, de forma que se pudesse realizar a separação dos possíveis casos de Covid-19 de outros pacientes com sintomas de doenças diversas, diferentes do coronavírus, que resultou na implementação de um Hospital de Campanha com capacidade para 30 leitos.

A estrutura interna da unidade hospitalar também sofreu algumas modificações: o sexto andar, com 24 leitos, foi separado para internação clínica dos casos de menor complexidade e a Unidade de Tratamento Intensivo ganhou um reforço de mais dez leitos para os casos mais graves. Além disso, o Hospital recebeu sinalização específica, de forma a garantir a segurança do paciente, evitando contaminações, tanto de colaboradores quanto de outros pacientes.

O diretor clínico do Hospital Cassems de Campo Grande, Marcos Bonilha, considera que a estrutura montada pela unidade para o atendimento aos pacientes sintomático respiratórios vai além da simples estruturação externa. Embora seja uma estrutura bastante robusta, com cerca de 600 metros quadrados de construção, com uma sala ampla de recepção, dois consultórios, farmácia, sala para paramentação, sala de observação, banheiros, vestiários e local de repouso para a equipe, foram implantadas algumas inovações que são específicas para o atendimento hospitalar, como a instalação de um sistema de filtragem de ar que evita a contaminação do ar externo. “Mesmo quando há a necessidade de internação do paciente sintomático respiratório, os fluxos que construímos permitem que eles sejam transportados de forma segura, evitando o contato com outros pacientes”, conclui Bonilha.

Os interessados em acompanhar as palestras poderão acessar o Fórum por meio do link a seguir: http://www.ibes.med.br/1o-forum-nacional-on-line-de-enfrentamento-ao-coronavirus/?fbclid=IwAR22ERlcJPUZ4Ce3luRQsOBXoRpmFReIvtUqbcQmOKBhsB977Jxkr2YTflY